Blog Archives

Toda a gente lê antes de dormir.

12961221_1372502412775392_588475180030234144_o

Escrevi no meu Instagram – https://www.instagram.com/isaldanha/ – que cá em casa até perdoamos a sopa, mas que toda a gente lê antes de dormir.
É bem verdade.
Mesmo com os olhos tortos e um bocejo inscrito na cara, faço questão de lhes dar 15 minutos de leitura obrigatória, às vezes mais. Quero que poisem os tablets e os periféricos móveis, que descansem do Youtube e das dobragens detestáveis do Disney Channel, quero que sintam a textura do papel, as palavras alinhadas, o cheiro das folhas e sobretudo os mecanismos de imaginação, curiosidade e o enriquecimento semântico, que só um livro produz.
Deixo-as escolher as livros.
A Caetana só gosta de histórias que tenham um Q.I. de terror, já a Camila só quer ler livros onde haja beijos e muito amor.
Comprei a trilogia da “Escola do Bem e do Mal” para a Caetana, reza a sinopse: “No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, na décima primeira noite do décimo primeiro mês, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Na temida ocasião, os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde estudam para se tornarem os heróis e vilões das histórias dos contos de fadas.” O primeiro livro foi eleito um dos melhores de 2013 nos Estados Unidos e Best-seller do The New York Times.
A miúda não larga o calhamaço e hoje pediu-me para levar o livro para a escola.
E eu, que sempre sonhei ir buscar a minha filha ao recreio e encontra-la absorta a ler.;))
É desta que concretizo um fetiche maternal.
Um beijo maior nos livros. (No dia internacional dos beijos.)

Comentar

CARAÇAS PARA AS LOIRAS!

12622491_1300401216652179_1658288246643611810_o

Ajuda, não ajudando, que as crianças das fotografias sejam um bem passageiro, de desfrute imediato e sorriso congelado para a a doce recordação.
Já as minhas loiras….caraças!
Parecem duas bolas de fogo em colisão com a terra. A mais velha desafia-me com enredos semânticos, com olhares pontiagudos e amuos súbitos, só passíveis de serem justificados, ao abrigo de uma cláusula que não me recordo de ter subscrito. Argumenta com um vocabulário tão rico, que às vezes, dou por mim, arrependida por todo o estímulo que fiz à leitura. E é de tal forma insistente, que me drena a motivação para o diálogo, que é uma proteína rica em mim.
Talvez me tenha demorado demasiado a viajar ou talvez esteja ainda mais demorada a aterrar.
A mais nova também é herdeira de boa sintaxe, mas como é bera, prefere a força acutilante das expressões mais curtas. Nunca vi ninguém trancar-se tão rápido. Às vezes penso que o melhor seria dar-lhe palmadas nas costas para desprender o cadeado. Rosna na mínima contrariedade e acelera o passo de braços cruzados e andar à soldado, assim que lhe dou um comando, que não se ajusta ao seu espaço sideral.
Não lhe querendo dar uma dimensão interplanetária, vou amaciando para mim mesma, a tese de que tudo, não passa de uma fase, que elas não terão encravado numa constelação qualquer, que as estrelas continuam a brilhar e que a terra gira todos os dias à volta do sol, mesmo quando ele se disfarça de lua.
Teria ajudado à minha missão que o transporte destes sorrisos de São Tomé aterrasse em solo mais acolhedor.
É curioso, mas hoje, sinto-me um astronauta cuspido à pressa da nave mãe.
Os movimentos parecem fluídos, quase etéreos, mas às vezes demora anos de luz, até que os pés se detenham novamente no chão. Resta-me a certeza que a gravidade do Espaço não permite que as lágrimas caiam, diminuindo a ironia da gravidade de tudo o que se passa na terra.
E daqui de cima a vista é maravilhosa! heart emoticon

Comentar

Obrigado eu!

IMG_9461

“Boa noite, Isabel.
Prometo ser breve, não tomar muito do seu tempo. Quero apenas agradecer-lhe pelo que hoje fez, sem saber, por mim. Comecei a ler o seu blog há apenas dois dias. Muito sinceramente, já nem sei como a encontrei. A verdade é que as suas palavras foram o meu motor, o que me levou a por mãos à obra.
Há muito tempo que queria ter um projecto meu; queria começar algo – por as minhas ideias a dar frutos. Planeei mil e quinhentos blogs, entre outras coisas. Finalmente, após dois dias de leitura dos seus textos tão simples e complexos ao mesmo tempo, tão transmissores de calma, comecei finalmente a tratar de tudo. Tenho um nome para o meu blog, ideias, e muita força de vontade e compromisso. Obrigada. Sem saber, a Isabel ajudou-me a dar um passo importante. É isto que me fascina na Internet, nos blogs. Esta capacidade de ajudar sem se saber que é isso que se está a fazer.
Muito obrigada!!!”

Posso não conseguir responder a tempo a todos os emails, posso não ter tempo para responder a todos os comentários, mas acreditem que cada palavra que vocês me escrevem é combustível. E se ando tão positivamente acelerada, tenho que agradecer a cada um de vocês o fabuloso contributo para o meu depósito:) Obrigado eu!

Comentar