Padroeiro dos amores

Sessão Gabriela & Diogo_0007Amanhã é dia dos namorados, e eu sempre fui daquelas pessoas, que embirrava com a data e em jeito de protesto, abstinha-me propositadamente de celebrar o dia, não ia tão longe na classificação abusiva de apropriação capitalista e do consumo desenfreado associado à data, porque não acho que haja nada de errado em comprar um presente para quem se gosta, mesmo que seja num dia específico.
A verdade é que o São Valentim existiu, e foi preso por um imperador Romano por continuar a celebrar casamentos, quando estes foram proibidos. O Santo, na altura bispo, foi de tal forma aclamado pelos jovens, que se viam privados da celebração do amor, que à prisão e por entre as grades iam chegando recadinhos e flores. Quando estava preso, apaixona-se por uma jovem cega, filha do carcereiro, a quem dizem, devolveu a visão. O jovem Valentim acaba decapitado mas ficou para sempre padroeiro dos amores.
Quando celebramos o dia 14 de Fevereiro, estamos a celebrar o dia em que o Jovem bispo subiu ao cadasfalto, de cabeça baixa e de coração cheio, disposto a morrer por amor ao amor.
Engraçado, porque se há propriedade que o amor mantém é a incerteza permanente se a doce caminhada de mãos dadas, conduz à promessa de um futuro ou se é apenas um passo incauto de quem sem saber, caminha para o cadasfalto.

Comments

comments