Não vai começar a chorar, pois não?

IMG_0119_9573Agarrei um desafio e estou a escrever um conto infantil.
A verdade é que não tenho muita experiência a escrever para crianças. Sou boa contadora de histórias, discurso oral bem entoado e imaginação solta, fazem com que as loiras se inclinem muitas vezes na cama e se cheguem a sentar, quando o propósito era dormir, só para ouvir com entusiasmo os enredos intrincados das personagens que vou debitando, à medida que bebo do seu olhar sôfrego, todo o combustível que preciso para prosseguir. Escrevi o primeiro capítulo e liguei à minha editora (entenda-se, a minha filha mais velha) disse-lhe que estava a escrever uma história para crianças, que já tinha escrito a primeira parte e que queria ler-lhe, antes de continuar, para saber se valia a pena.
A Caetana responde: – Espere aí mãe, deixe-me ir para um sítio sossegado, longe da Camila.
Deslocou-se rapidamente e continuou:
– Pode ler mãe! Mas…se eu achar que está uma porcaria a mãe não vai começar a chorar? Pois não?
Respondi: – Claro que não! Se estiver mal, começo outro. Posso?
E li.
Pausadamente para que entendesse cada uma das palavras.
Quando acabei fez-se silêncio. Aquela pausa lixada que é misto de hesitação com ansiedade.
Passados uns segundos, a Caetana responde:
-Mãe…..adorei!
Acho que dá para imaginar que escrevi logo os três capítulos seguintes.
Nada disso. Desliguei o telefone como se tivesse acabado de ganhar um Pullitzer e deitei-me como quem sabe de antemão exactamente o que vai sonhar.
You make my life.
You made my day:)

Comments

comments