Hoje é melhor não responder.

IMG_0012_7245Quando uma coisa é má, eu chamo-lhe fase. Aliás faço questão de acreditar que tudo o que é mau ou menos simpático seja passageiro, como aquelas borbulhas que aparecem para anunciar o período. Acabou-se o tempo em que lhes gabava a amizade, as loiras odeiam-se, nesta fase em particular:) Agressões verbais ferozes, antecedem tomadas de acção físicas que vão desde a bofetada de raspão ao simulacro de wrestling quando o inimigo se destrai. Acabou-se o discurso apaziguado à pergunta: – Dão-se bem? – Não, dão-se mal como a m*!
Berro como nunca berrei, a minha cara fica tão disforme que suspeito estar a criar novos vínculos que redundarão em novas rugas. Quando chego ao local do crime só vejo inocentes a chorar e às vezes, só por conveniência do cansaço, viro as costas e digo: – Não se preocupem, fiquem aí que eu vou apanhar quem vos fez mal!
Se isto não passasse ou não passar, eu passar-me-ei no gerúndio, passando-me à grande.
Por agora, vou me agarrar à rouquidão da voz que se adivinha sexy com o adensar do conflito e experimentar esgares diferentes cada vez que berro, só para não tornar ainda mais óbvia a relação entre a maternidade e o envelhecimento precoce.
Se as curto?
Hoje é melhor não responder.
Estou sem voz…

Comments

comments