Eu amo-te! Eu amo-te!

002Expressões crianças_ Isabel Saldanha PhotographyOntem apanhei a loira grande a encostar a loirinha pequena à parede. Muito provavelmente, tinha razão, porque a “cachos dourados” cá de casa tem pouco de meiguice quando lhe dá para a tortura da irmandade.
Mas a somar ao carácter intempestivo, a loirinha pequena também tem a lábia prosaica do ADN, e quando se viu no beco sem saída, com a sombra da mão da irmã alçada sobre o rosto, ela diz:
– Não faças isso! Eu amo-te! Eu amo-te!
A Caetana olha para mim e ri-se, reconhece o exagero da expressão e abraça-a.
Moral da história: Ainda que seja de evitar o uso manipulador de expressões sentimentais para apaziguar a cena, fica-nos o reconhecimento humorístico da situação e um abraço final que é a maior prova de amor e vitória sobre um discurso (que não foi em) vão.

Comments

comments