Cupido

post its-1Não tarda nada só recebemos em casa tipos gordinhos de fraldas com setas na mão e montamos o nosso próprio exército:)
Começo a sentir que a preparação para o meu Workshop do Amor me está a dar extra skills na nobre arte de mover o cérebro direito para a esquerda, sem sobreposição, apenas naquela caixinha optimista da estratégia, de quem se dá sem se deixar dominar, dominando quem se considera dominando, só pela aparência de estar “dando”. Mas isto é tudo balela, porque nós, que andamos por aqui a oferecer o melhor orgão do corpo a quem gostamos, só porque acreditamos, que não há permuta de inteiro por metades, gozamos como garimpeiros em causa própria cada pepita deliciosa desta cruzada, encruzilhada, maratona desmedida, de quem se dá se logo, na primeira investida. Como quem aposta tudo nesta vida, e se manda sem qualquer garantia para à promessa mais louca de amor por um dia. E depois, quando nos lixamos, que também acontece. A malta levanta-se e não perece.
E parece que tudo acontece, como se o amor fosse destinado à aparência de fardo, o mais delicioso fado, que nesta vida se almeja e de quem está disposto a deixar tudo, naquela bandeja….e não interessa quem seja. Porque amor não é ponto de vista, nem investimento é entrar pela selva adentro. Sem esperança de colonizar, porque o sentimento é altivo, mas tem mais de selvagem e só assim se percebe o doce sabor da amarga viagem:))

(Estou a ajudar o gordinho a afiar as setas!)

Comments

comments