A minha janela

janela inspiracaoJá olhei muitas vezes por esta janela à procura de respostas. Também já olhei para o rio como quem tem todas as certezas. Já me encostei no parapeito a chorar por histórias que não percebi, fins que não consegui desenhar, já disse “Olás” confiantes como quem lança as escadas antes de abrir, já rasguei insónias com os cotovelos estendidos sob a madeira fria, já fiz desenhos sobre o hálito quente condensado no vidro, desenhei sorrisos, corações, nomes e já risquei tudo outra vez, só para sentir na ponta do dedo frio, o arrasto húmido do meu poder sobre as coisas.
Já bebi copos de vinho sozinha, cheia de mim e esvaziada de mim mesma, já fumei cigarros demorados e já dei bafos a correr, já fui abraçada por trás, já beijei debruçada como quem sabe que pode, que tem, que voa, e que cai e que faz tudo outra vez, só para voltar a sentir. Já mandei mensagens a medo, e esperei respostas que vieram na forma, como nunca chegaram, já ri sozinha de mim, dos outros e com outros, já inalei o ar como quem quer encher o corpo de tudo, já dancei de braços para o alto e já deslizei junto à parede com eles caídos…
Quando acordo de manhã é aqui que estendo o meu olhar e quando os meus olhos se cansam das coisas, é a esta janela, com esta paisagem e com este rio, que vou buscar a energia para tudo o que ainda há para fazer.
Esta é a minha janela.

*Fotos tiradas com telemóvel
http://instagram.com/isaldanha

Comments

comments