Blog Archives

Houve um tempo

IMG_5265

Houve um tempo em que a minha janela se abria para um labirinto de portas. Em que a vida era toda buffet e eu era toda recreio.
Houve um tempo, em que o tempo era amigo e parecia demorar-se comigo no não ser nada. Nesse tempo, em que o tempo era esquecido de si mesmo, eu era feliz.
Nada era, nada se impunha.
Sem ambição de coisa alguma. Sentava-mo-nos eu e o tempo e o labirinto de portas à nossa frente.
Houve um tempo, em que o olhar demorado sobre a janela não pedia mais nada. Nada mais, que o olhar demorado sobre a janela. Nesse tempo eu existia, respirava, inalava e sentia, sem grande responsabilidade sobre cada uma delas.
E sem pressão de coisa alguma, sem a ambição de ser alguma coisa, eu tinha a estranha impressão de estar sendo, essa janela aberta para um labirinto de portas.

Boa semana* (acho que se nota, que estou a convalescer de um estado febril)

Comentar