Paris em 24 horas

Paris, paris…
“24 horas em Paris” podia ser o título do melhor filme romântico. A palavra Paris está tão inebriada de romantismo, que mesmo quando lá vamos em trabalho, sentimos um dever para com a chancela do amor. Paris pede a dedicação que não lhe consegui dar.
A Torre Eiffel era apenas o pano de fundo, o cenário. As ruas e os cafés eram atravessados como se fossem escadas rolantes e as pessoas…não me recordo de ter olhado para um rosto, o tempo necessário para o fixar. Mesmo assim, só de raspão, fico a torcer para que a cidade se tenha fixado no meu.  O que tirei de romantismo foram as boas gargalhadas da equipa à procura de um restaurante para jantar, as minhas conversas de pijama com a Inês, que pedem que tiremos ao sono, as horas que já lhe devemos e as fotografias, que provam que mesmo nas rapidinhas da vida, nós fazemos acontecer com muito prazer.
Até já Paris <3

Comments

comments