Marrocos

Há duas coisas quase impossíveis de fazer em Marrocos, enganar e fotografar um marroquino. Primeiro porque os retratos directos são seguidos de cobrança de dinheiro, e quando estão ao longe e nos vêem com a máquina, tapam imediatamente a cara. Também não há diálogo por mais simpático que seja que resulte numa boa chapa. Até os percebo, a zona da Medina e dos souks tem mais turistas que marroquinos e os que há, estão absorvidos no comércio ou de passagem para uma morada qualquer. Depois lembro-me da minha primeira casa em Alfama, virado para um larguinho e lembro-me quando me encavalitava no parapeito a ler ou a falar ao telefone e o que ficava irritada quando os turistas paravam para me fotografar à janela como se eu fosse uma atracção turística, e o medo que tinha de virar um postal com letras gordas a dizer ALFAMA TYPICAL:) Por isso, e enquanto ando pela downtomn de marrakesh, fico-me pelos arcos, pelas ruelas, pelos becos e pelos contrastes e vou tirando aquelas fotos de plano horizontal que quando tiver pachorra vou imprimir para colocar nas paredes da minha cozinha.
P.S: Não tem nada a ver, mas tenho saudades das minhas loirinhas, que não tem nada de preto e branco♥

Comments

comments