CARAÇAS PARA AS LOIRAS!

12622491_1300401216652179_1658288246643611810_o

Ajuda, não ajudando, que as crianças das fotografias sejam um bem passageiro, de desfrute imediato e sorriso congelado para a a doce recordação.
Já as minhas loiras….caraças!
Parecem duas bolas de fogo em colisão com a terra. A mais velha desafia-me com enredos semânticos, com olhares pontiagudos e amuos súbitos, só passíveis de serem justificados, ao abrigo de uma cláusula que não me recordo de ter subscrito. Argumenta com um vocabulário tão rico, que às vezes, dou por mim, arrependida por todo o estímulo que fiz à leitura. E é de tal forma insistente, que me drena a motivação para o diálogo, que é uma proteína rica em mim.
Talvez me tenha demorado demasiado a viajar ou talvez esteja ainda mais demorada a aterrar.
A mais nova também é herdeira de boa sintaxe, mas como é bera, prefere a força acutilante das expressões mais curtas. Nunca vi ninguém trancar-se tão rápido. Às vezes penso que o melhor seria dar-lhe palmadas nas costas para desprender o cadeado. Rosna na mínima contrariedade e acelera o passo de braços cruzados e andar à soldado, assim que lhe dou um comando, que não se ajusta ao seu espaço sideral.
Não lhe querendo dar uma dimensão interplanetária, vou amaciando para mim mesma, a tese de que tudo, não passa de uma fase, que elas não terão encravado numa constelação qualquer, que as estrelas continuam a brilhar e que a terra gira todos os dias à volta do sol, mesmo quando ele se disfarça de lua.
Teria ajudado à minha missão que o transporte destes sorrisos de São Tomé aterrasse em solo mais acolhedor.
É curioso, mas hoje, sinto-me um astronauta cuspido à pressa da nave mãe.
Os movimentos parecem fluídos, quase etéreos, mas às vezes demora anos de luz, até que os pés se detenham novamente no chão. Resta-me a certeza que a gravidade do Espaço não permite que as lágrimas caiam, diminuindo a ironia da gravidade de tudo o que se passa na terra.
E daqui de cima a vista é maravilhosa! heart emoticon

Comments

comments